Mensagem & Reflexões (por Mãe Nazareth)


(Em janeiro de 2008)

Neste mundo de aprendizado e descoberta, vamos aprendendo a dar valor ao que temos quando perdemos algo ou alguém insubstituível e precioso.
Aprendemos a perder com dignidade quando a vida nos tira o que temos de melhor.
Descobrimos o valor do perdão quando oferecemos e recebemos em nome do Pai.
Encontramos o significado de nossas vidas passadas e presente quando encontramos em outra pessoa a metade de nossa alma.
Compreendemos os erros alheios quando percebemos que também erramos.
Ganhamos a humildade quando a vida nos tira a venda da vaidade.
Só olhamos a beleza da natureza quando estamos perdidos no campo da solidão.
Pensamos mais em Deus quando não temos com quem abrir os segredos do coração.
Os caminhos tornam-se curtos quando temos motivos para chegar.
Só é infeliz quem conheceu a felicidade e não pode juntar-se a ela.
Quem chora por amor merece o céu, quem não tem por quem chorar o inferno.
Há uma grande diferença entre o ódio e o amor: quem ama flutua, quem odeia se arrasta.
Nem todo erro aos olhos de Deus é pecado. A prova é que quando acertamos, poucos aplaudem, mas quando erramos, muitas mãos se levantam apontando em nossa direção.
O mais Sábio de todos os sábios tentou encontrar a fórmula do amor e acabou amando toda a humanidade. E nós? Pobres pecadores! Ainda temos que viver muitas vidas para aprender amar, perdoar, errar, se perder até ser encontrado.
A maior decepção que podemos ter na vida é descobrir que alimentamos serpentes venenosas pensando que fossem pombos.