Mensagem & Reflexões (por Mãe Nazareth)

Trecho do livro “Frutos do Umbral”
Palavras de Pai Antônio:
(Ditado pelo espírito Helena e psicografado por Maria Nazareth Dória.)

Maria Nazareth/Escritora
Foto: Ricardo Macimiano

“ – Minha filha, você me pediu uma explicação mais detalhada sobre a importância e a responsabilidade que se deve ter em uma casa de oração. Muitas vezes, os espíritos encarnados só se dão conta da importância de uma casa de oração no momento de desencarnar, quando precisam delas. Encarnados, passam por elas sem dar sua real importância. Outras vezes participam de uma maneira irresponsável, ou, ainda, com boa vontade e cheios de fé, mas nunca se interessam o suficiente em conhecer o que liga ao plano espiritual.
“Quando o Pai Maior autoriza um filho a se filiar às legiões espirituais de socorro, ele deve estar preparado e consciente da grande responsabilidade assumida perante o mundo carnal e espiritual. Nunca um discípulo de Jesus deve assumir o posto de chefe de um rebanho almejando ganhar fortunas, sucesso ou tratamentos especiais diante de seu próximo. Um filho de Deus, quando assume a direção de uma casa espírita, deve se concentrar e se aprofundar nos estudos da Lei Maior.
“Não pode se deixar levar pelo orgulho e pela vaidade, acreditando que tudo o que é desenvolvido na casa é mérito seu, pois tudo o que é desenvolvido dentro de um centro espírita deve ser interpretado da seguinte forma: não é obra minha nem tua, mas sim de Deus. Um Centro Espírita deve ser muito bem planejado, de preferência em lugares simples e carentes, pois as necessidades do Pai Maior em juntar seu rebanho perdido não estão dentro de uma área luxuosa.
“Lembremos da chegada de Jesus Cristo ao mundo: ele sendo o Rei dos reis nasceu como o mais simples dos homens. Portanto, devemos estudar, escolher e planejar o local ideal para implantar o nosso pronto socorro. Imaginem se um rico necessita de um pronto socorro! Ele apenas chama seu médico em casa! Agora, imaginem uma família sem recurso material algum, necessitando de um médico com urgência. É o pronto socorro público mais próximo que o atenderá.
“No local escolhido, começamos a construção e a montagem do pronto socorro. Da mesma forma que o dirigente prepara seus aparelhos na Terra, nós preparamos o plano espiritual. Passamos toda instrução necessária a esse filho, mostramos onde, como e o que deve se firmar para a sustentação e a ligação da casa com a nossa disposição. Uma casa erguida em tais condições estará sempre a salvo, será uma casa de progresso, especialmente se todos os trabalhadores tiverem consciência de suas tarefas.” Todavia, nem todas as casas são preparadas e erguidas da mesma forma. Cada uma delas tem seus mistérios, e a chave dessas passagens é entregue ao dirigente que conhece cada entrada e saída de sua casa. Além disso, os dirigentes devem ter em mente que um centro espírita não é um lugar móvel, que pode ser mudado no momento que desejarem. Quem age dessa maneira certamente não está apto a dirigir algo sério como um pronto socorro das almas.
“Os dirigentes não gozam de privilégio algum no processo de trabalho – são apenas trabalhadores a serviço da Lei, assim como os espíritos. Por isso é fácil identificarmos um fiel servidor da Lei Maior: ele tem caráter, responsabilidade, humildade e disposição para servir, aprender e ensinar”.