Orixás do Mês de Agosto

Dia 15: Nossa Senhora da Glória
Mãe Oxumna na Umbanda

Imagem Internet
No 15 de agosto, em algumas regiões do país, Nossa Senhora da Glória simboliza Iemanjá, divindade que atua nas águas salgadas que envolvem o nosso planeta e rege a emoção através da virtude, da ternura materna, da misericórdia e do amor. Já em outras regiões, ela é Oxum, Orixá feminino das águas doces dos rios e das cachoeiras que, associada à maternidade é, frequentemente invocada pelas mulheres que querem engravidar.


Dia 16: São Roque - São Lázaro
Sr. Abaluaê / Omulu na Umbanda
Imagem Internet
Louvar este Mestre é pouco para expressar sua grandeza.
Ele é o senhor que comanda o nascimento e a morte da matéria, a saúde e a doença do espírito, comanda a Lei dos cemitérios, necrotérios e dos centros cirúrgicos. É o guardião dos médicos e de todos os que praticam em nome de Cristo a cura (matéria / espírito). Senhor que pesa as almas, distribuindo seu novo rumo. Advogado da nossa vida enquanto encarnados. Pai bondoso, justo e misericordioso.
Sr. Abaluaê/Omulu não é uma entidade fria, distante, feia! É uma entidade calma, que nos transmite paz, confiança, esperança. Um santo da última hora. Quando não temos mais esperança e o invocamos com fé, respeito e amor, recebemos sempre as bênçãos desse pai. Quem o imagina um velhinho perigoso está enganado. É uma entidade boníssima, linda e meiga, lembrando o próprio Jesus Cristo. Ele é um Orixá que controla, protege e guarda nossos restos mortais (cemitério), consola e ampara os que choram seus mortos. Afasta os espíritos zombeteiros e sugadores (vampiros) das salas de cirurgias, do quarto dos doentes e dos corpos mortos. Afasta os espíritos sofredores e inconscientes (nem todos os espíritos que encostam-se em nós nos deseja mal. Às vezes ficam colados em nós exatamente por amor, tentando nos proteger, não tendo noção que nos fazem mal), ficamos doentes, tristes, depressivos, agressivos e descrentes, quando sofremos a influência de alguns desses espíritos. São espíritos sofredores que ainda não encontraram o rumo de suas novas moradas. São espíritos errantes (muitas vezes eles são trazidos até nós pelas entidades, no sentido de serem ajudados a encontrarem luz. Quando encontram filhos irresponsáveis, despreparados ou ignorantes, acabam se infiltrando neles e aí ficando escondido, pois nossa matéria é um abrigo para eles). Passamos a ter sérios problemas morais e espirituais criando problemas para os outros. É muito importante termos uma religião. É uma segurança para o espírito.
Pai Abaluaê/Omulu nos protege desses nossos irmãos e os ajudam encaminhando-os às suas novas moradas que podem ser: um reformatório (presídio), um hospital, uma escola, etc. Em casos de doenças devemos sempre recorrer à sua proteção. Ele é reconhecido como o médico das almas encarnadas e desencarnadas.
É totalmente impossível um filho nascer ou morrer (na matéria) sem passar por ele. Nos trabalhos da mesa sua presença é certa. Ele auxilia os irmãos voluntários (mentores espirituais) e os médiuns encarnados. Nesses trabalhos a ele são confiados todos os irmãos doutrinados ou não. Quando começamos a fazer um tratamento espiritual devemos levar a sério. Quando uma entidade prescreve um tratamento não é só para ajudar você, mas a quem lhe acompanha (eles nunca vão falar o bem que está lhe fazendo). Às vezes leva muito tempo para a cura total. Geralmente esses espíritos se agrupam formando falanges ao nosso redor. É com paciência que nossos guias os doutrina um por um. Não pensem que uma única vez indo aos pés de uma entidade com um “trabalhinho” você ficará livre de suas doenças espirituais (obsessões). Há casos que levam meses e até anos para alguém se ver livre das perseguições espirituais. Só há algo de bom em tudo isso: Não é só você o ajudado, são dezenas de irmãos que recebem essa ajuda. Dentro de um terreiro esse trabalho é fundamental (A Mesa). Aqueles que não gostam dos trabalhos da mesa ainda não compreenderam o que será seu amanhã. Vão precisar dela, de seus mensageiros e de seus médiuns. Não devemos obrigar ninguém amar a Deus e ao seu próximo. Ajudar o próximo, socorrer às almas que sofrem (às vezes são nossos próprios parentes) é uma vocação. Quem não ajuda as almas dedicando seus bons pensamentos através das orações com toda certeza passará pelo mesmo destino: vai se lembrar-se de que, quando teve oportunidade de levantar alguém, simplesmente virou-lhe as costas. Irá penar, sofrer na alma tudo aquilo que não soube aproveitar. “As almas dá para quem sabe aproveitar”.
Aproveite sua oportunidade agora! Jamais voltaremos com a mesma chance. Faça o bem para uma só alma e receberá o bem de milhões delas.